O CIRCO CHEGOU!

Respeitável público, vem  o grande festival de aniversário do Museu do Pontal! Nos dias 8 e 9 de outubro, venha comemorar com a gente o sucesso do primeiro ano de atividades na nossa nova casa na Barra.

Tem exposição inédita sobre o circo no Brasil? Tem sim, senhor!

A exposição O circo chegou! se desenvolve em torno da obra “O circo”, do magistral artista Adalton Fernandes Lopes (1938-2005), natural do Rio de Janeiro. Essa criação de forte apelo lúdico também simboliza a complexidade e beleza da arte popular brasileira. Inspira-se nos pequenos circos interioranos, onde o conhecimento – sofisticado e invulgar – se aprende de maneira autodidata. E dilui as fronteiras entre arte, sobrevivência e aventura.

O circo de Adalton é uma engenhoca ou, como muitos preferem chamar, uma geringonça. Com mais de cem personagens, é um tipo de máquina de fabricação caseira, que utiliza diversos materiais reciclados e, muitas vezes, adapta peças e engrenagens, inventando sistemas para fazer movimentar figuras articuladas.

Nesta exposição juntamos a Adalton Fernandes Lopes outros grandes artistas da modelagem e da escultura. Do acervo do Museu do Pontal vêm Antônio de Oliveira, Mestre Vitalino, Severino Vitalino, Socorro Rodrigues, Manoel Eudócio, Ciça, Vavan e João das Alagoas.

De acervos convidados, como a Coordenação Nacional de Folclore e Cultura Popular, o SESC SP, o Itaú Cultural, e de colecionadores privados e artistas, nos chegam obras de Adauto Alves Pequeno, Maria Cândido Monteiro, Véio e Rita Huesca Hidalgo.

Dialogando com esse grande acervo, foram convidados fotógrafos que em seus percursos, se depararam, em algum momento, com a estética e a força imagética do circo. Assim, recebemos fotos do Instituto Lina Bo Bardi, da Fundação Pierre Verger, da Galeria Leme, do IMS – Instituto Moreira Salles e, ainda, de colecionadores privados e artistas, como: Pierre Verger, Luiz Braga, Luiz Hossaka, Márcio Vasconcelos, Ratão Diniz.

circo
Tem palhaço, bailarina, mágico e trapezista? Tem sim, senhora!
Venha se divertir, surpreender e encantar com mais de 20 espetáculos e oficinas circenses preparados especialmente para você e sua família.Entrada gratuita*

*Retirada de ingressos no local, nos dias do evento.

8 de outubro

10h - Realejo poético - Cia Chirulico

Uma dupla de palhaços, um boneco de ventriloquia e um realejo distribuem pequenas mensagens para o público. Com música e poesia, a trupe de Macaé (RJ) cria novas possibilidades para o riso, por vezes ridículas e imprevisíveis.

8 de outubro

10h -  O Show das Bolhas - Palhaça Trumbica

A artista e pesquisadora de bolhas de sabão Dryele Soares, também conhecida como Palhaça Trumbica, promete encantar o público com uma performance cheia de cores e truques.

8 de outubro

10h20 - Oficina Embolhe-se Palhaça Trumbica

Já tentou fazer bolhas gigantes em casa e se frustrou? Pensando nisso, a palhaça Trumbica criou esta oficina para todos experimentarem a sensação de fazer bolhas enormes como um “bolhador” profissional.

8 de outubro

10h30 - Rir! Porque ainda é o melhor remédio! - Patrick, o mágico

Com uma maneira inusitada e deliciosa de se fazer mágica, valorizando a brasilidade e a pluralidade da arte circense, com números interativos, ousados e divertidos, Patrick, o mágico, chega com o único objetivo de tirar as pessoas do sério.

8 de outubro

11h30 - O Homem Bola

Redondo como o planeta Terra, o Homem Bola dá o ar da graça em uma impactante performance que conduz a relação entre palhaço e platéia para a hilariante fusão entre um homem em colante e um balão de gigantescas proporções.

8 de outubro

12h - Turma de Bate Bola Bem Feito, de Campo Grande

Detentora de vários prêmios da RioTur e famosa por acolher mulheres e crianças, a turma de Campo Grande, na Zona Oeste, vem  ao Museu mostrar como é uma saída de bate bolas.

8 de outubro

13h - Oficina Circo em família

Acrobacia, malabares e jogos relacionais da palhaçaria são objeto desta oficina criada pelo Teatro de Anônimo para toda a família. Fundado no Rio em 1986, o grupo já viajou pelo Brasil e países como Noruega, Peru, Chile, Colômbia e Espanha e é responsável pelo Anjos do Picadeiro – Encontro Internacional de Palhaços, evento que figura entre os maiores do gênero na América Latina.

8 de outubro

14h30 - Solo Protocolo

Concebido pelo ator, palhaço, brincante, educador, artesão, diretor e realizador Ricardo Gadelha a partir de improvisações realizadas no espaço público, o espetáculo promove uma conexão estreita entre o artista e o espectador, estabelecendo uma atmosfera de jogo, entusiasmo e troca.

8 de outubro

15h30 - Intermezzo - Teatro de Anônimo

Um espetáculo modular, onde os palhaços se revezam numa sequência de cenas clássicas autônomas que primam pela versatilidade, o jogo aberto com o espectador e a simplicidade, utilizando técnicas circenses como acrobacia aérea e solo, mágica, dança e equilíbrio.

8 de outubro

16h30 -  A Saga de Jorge - Cia de Mystérios e Novidades

Baseado na versão alagoana da Folia de Reis, o espetáculo conta e canta a história de São Jorge contra os dragões da maldade e do caos. Dentre as linguagens artísticas, o grupo criado no Rio em 1981 utiliza técnicas do teatro de rua, circenses (perna de pau) e danças populares para encantar a plateia.

8 de outubro

18h - Tomate, Puro Tomate

Da Argentina vem Tomate, um palhaço, um bufão, um ser que por momentos é cruel e por momentos é inocente, interagindo com a plateia para fazer rir e refletir. Em  26 anos de risadas e aplausos, já percorreu mais de 25 países com seu espetáculo solo inflando, soprando e dando vida a uma série de disparatados personagens feitos com balões.

8 de outubro

19h - O amor pelas ventas -  Adelly Costantini

No ar, brincando com a leveza da gravidade, Adelly dança inspirada em ‘Fevereiro’, poesia de Matilde Campilho. Suspensa por cordas, na parede do museu, uma coreografia com saltos, pêndulos e outras surpresas.

8 de outubro

19h - O Show das Bolhas -  Palhaça Trumbica

A artista e pesquisadora de bolhas de sabão Dryele Soares, também conhecida como Palhaça Trumbica, promete encantar o público com uma performance cheia de cores e truques.

8 de outubro

19h20- Oficina Embolhe-se - Palhaça Trumbica

Já tentou fazer bolhas gigantes em casa e se frustrou? Pensando nisso, a palhaça Trumbica criou esta oficina para todos experimentarem a sensação de fazer bolhas enormes como um “bolhador” profissional.

8 de outubro

20h - Circo Saltimbanco

Com uma história centenária, o Circo Teatro Saltimbanco, de Niterói (RJ), chega à sua sexta geração de artistas circenses com palhaços, acrobatas, trapezistas e equilibristas, mostrando em seu picadeiro toda a excelência do circo clássico.

8 de outubro

20h30 - O Homem Bola

Redondo como o planeta Terra, o Homem Bola dá o ar da graça em uma impactante performance que conduz a relação entre palhaço e platéia para a hilariante fusão entre um homem em colante e um balão de gigantescas proporções.

8 de outubro

21h - Baile da Silva

Show inédito concebido especialmente para o encerramento do primeiro dia do festival, com o mais animado dos discos “{RIANTE!}” e “FUNIL” do Circo da Silva e hits do saudoso grupo Songoro Cosongo. Prometendo uma noite de dança sem pausas, o grupo é formado pela gaúcha Paula Preiss e pelo chileno Arturo Cussen e conta com a participação de Lanca Lopes, Pedro Pamplona e Victor Giraldo.

9 de outubro
9 de outubro

10h - Cadê as Palhaças? - Minha Dupla Cia

Com direção de Cris Munoz, a peça  traz à cena Carlota e Vitória Régia, duas palhaças costureiras que atuam nos bastidores de um brinquedo popular. Ao abrirem um baú proibido, elas descobrem objetos, como rabeca, lanças e cravos, herança de suas mães, tias, avós, mulheres da cultura popular. Uma homenagem a todas as mulheres que brincam!

9 de outubro

11h - O Homem Bola

Redondo como o planeta Terra, o Homem Bola dá o ar da graça em uma impactante performance que conduz a relação entre palhaço e platéia para a hilariante fusão entre um homem em colante e um balão de gigantescas proporções.

9 de outubro

12h - Oficina Corda de lona - Mário Martins

Unindo saberes circenses, como o malabares e a acrobacia, às técnicas do pular corda esportivo, Mário Martins concebeu esta oficina. Além de aprender a pular corda de maneira muito mais divertida e prazerosa, os participantes vão  criar uma pequena apresentação.

9 de outubro

14h - Cortejo de  palhaços da Folia de reis do sertão carioca e da Penitentes do Santa Marta

De origem católica e muito presente em lugares como a Baixada Fluminense e o interior de Minas Gerais, a Folia de Reis resiste no Rio apesar da falta de apoio. Neste cortejo estarão presentes integrantes da Folia de Reis Penitentes do Santa Marta, fundada na Ilha do Governador nos anos 1950, e o palhaço da Folia de Reis do sertão carioca, da Zona Oeste.

9 de outubro

15h - Se der corda… - Circo no ato

Entre cordas, acordes e acrobacias, uma trupe em estado de jogo, brincadeira e criação envolve todo o público em uma roda viva. O espetáculo fala da grandiosidade do que é singelo e ingênuo, da amizade como força motriz da criação. Com 9 anos de atuação, o coletivo carioca já viajou por 15 estados brasileiros e 11 países.

9 de outubro

16h - O Homem Bola

Redondo como o planeta Terra, o Homem Bola dá o ar da graça em uma impactante performance que conduz a relação entre palhaço e platéia para a hilariante fusão entre um homem em colante e um balão de gigantescas proporções.

9 de outubro

16h30 - Carrilhão - Coletivo Nopok

O espetáculo de Daniel Poittevin e Fernando Nicolini é uma fusão das linguagens do circo e do teatro. A dupla se desdobra entre diversos personagens e narrativas, trazendo alegorias de diferentes culturas e épocas. Entre os destaques, números como como a Parada de Mão, o Rola Rola e os Monociclos Altos.

Junta Local

O circo de pequenos produtores da Junta Local irá entrar no picadeiro que está sendo armado pelo Museu do Pontal para celebrar a comida boa, local e justa com sua comunidade de produtores. Nos dois dias do festival, serão mais de 40 barracas representando toda a gama de produtores da Junta Local, numa curadoria especial para o evento: hortifruti fresquinho do campo, pães, queijos, vinhos e cervejas artesanais e comidinhas. Como sempre, as feiras são escoltadas pelo trio de Juntos com Certeza.

Como chegar

Para facilitar o acesso ao Museu, nos dias 8 e 9 de outubro vans gratuitas sairão da estação do metrô Jardim Oceânico. Basta chegar a um desses locais e procurar pelo nosso orientador de público. As vans sairão a cada 15 minutos, a partir das 9h30 até às 19h no sábado e das 9h30 até 16h no domingo. Na volta não se preocupe, as vans também estarão disponíveis até o final do evento.

Para quem vai de carro ou de transporte privado, o endereço é Avenida Célia Ribeiro da Silva Mendes 3.300, Barra. Recomendamos usar como referência o condomínio Alphaville Residências, que fica bem ao lado do museu.

Recomendamos utilizar metrô e vans gratuitas, táxi ou aplicativos de transporte privado.

Os ingressos para o festival são gratuitos e deverão ser retirados local, nos dias do evento, a partir das 10h.